Ter os caminhões na rua e uma agenda lotada nem sempre quer dizer que você está ganhando dinheiro. Isso porque, se você não souber calcular o frete da maneira certa, vai acabar trabalhando muito e ainda perdendo dinheiro.

Muitas variáveis estão envolvidas no cálculo. Por isso, selecionamos 3 dicas essenciais para você começar a calcular o frete da maneira correta e não perder mais dinheiro. Vamos lá?

3 dicas para calcular o frete corretamente

Custos de operação

Muitos caminhoneiros, na hora de calcular os custos de um frete, acabam incluindo na conta somente o grosso do que foi gasto, deixando passar outros custos que parecem sem importância. Mas cuidado: isso pode cortar uma parte significativa do seu lucro.

Por isso, para calcular os custos de um frete, não inclua simplesmente o valor do combustível rodado. É preciso considerar itens como:

Não tenha medo de colocar tudo na ponta do lápis na hora de fazer o cálculo. Mantenha sempre um histórico de manutenção do seu caminhão, pois isso irá ajudar a definir o valor gasto por mês com esse item.

Só para exemplificar, no caso das manutenções, some o que foi gasto nos últimos 3 meses, por exemplo, e divida por 3 para obter uma média.

Com esse número em mãos, divida por um número de fretes mensais que seu caminhão e motorista poderia fazer sem problemas. O resultado será o valor embutido das manutenções/custos no frete.

Exemplo:

Média de gastos mensal Média de fretes por mês Valor embutido
R$1.000 12 R$83,3

Daí é só decidir o método: se vai embutir esse valor no preço do km ou peso.

Medidas

Decidir as medidas corretas para calcular o frete também é essencial. Isso porque quem transporta uma carga de espumas para estofados, por exemplo, está levando muito mais volume do que peso. Assim, se você cobrar por peso, perderá dinheiro.

Por isso, existe algo que deve ser sempre considerado que é comparar a cubagem x peso da mercadoria:

  • Cubagem: calcula-se o volume da carga no caminhão e não somente seu peso. Garante uma cobrança mais correta e evita prejuízo para quem cobra só o peso para qualquer carga.
  • Peso da mercadoria: calcular o frete na base do preço é ideal quando se vai levar muito peso, especialmente porque quanto maior o peso, maior o consumo de combustível.

Impostos e riscos

Também não se pode deixar de calcular a incidência de impostos sobre a mercadoria que você transportará.

Informe-se detalhadamente dos impostos cobrados no estado em que você atua e também no que você irá entregar.

Leis municipais também devem ser sempre conferidas para evitar surpresas. Evite a prática da “meia nota”, que é ilegal e pode render multas e sérios problemas com a justiça.

É preciso considerar ainda os riscos. Com o valor da nota transportada, você já terá uma noção do seguro de carga que terá de fazer. Mas, além disso, sempre inclua no cálculo o TRT (Taxa de Restrição de Trânsito) e o TDE (Taxa de Dificuldade de Entrega).

  • TRT: leis e regras que dificultam a entrega em centros urbanos, encarecendo os custos operacionais. Consulte as cidades e restrições aqui.
  • TDE: regras de recebimento como ordem de chegada, obrigatoriedade de ajudantes, notas e condições especiais exigidas pelo cliente no ato da entrega e que geram custos adicionais. Veja aqui.

E aí, gostou das nossas dicas sobre como calcular o frete de maneira correta? Seguindo-as à risca, você evitará prejuízos.

Aproveite para acompanhar nossas redes sociais e não perder mais nenhuma dica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *