Rodar muito e ter agenda lotada não significa ganhar dinheiro, se você não calcular o frete de caminhão e cobrar por um preço que cubra os custos e gere lucro. Deixar de fazer as contas pode, inclusive, resultar em prejuízo!

Definir o valor correto a ser cobrado é possível para o profissional que leva em consideração alguns fatores importantes e coloca isso na calculadora. Agora é hora de aprender essa matemática e fazer um bom gerenciamento do seu negócio. Siga com atenção as dicas de nosso post!

Importância ao calcular o frete de caminhão

sentido de pegar a estrada e seguir viagem para o caminhoneiro é movido por uma paixão e também porque representa o ganha-pão dele e de sua família. Por isso que o preço cobrado no frete deve levar em consideração os gastos que o motorista tem.

Ao descobrir esse gasto, o caminhoneiro vai saber exatamente o quanto precisa para não ficar no prejuízo.

Mas pagar as contas não é o único significado do trabalho. O que deve ser levado em consideração, a partir do momento que se sabe o quanto vai custar o frete, é também definir o lucro de toda essa operação. Vamos em frente para aprender mais sobre como definir o preço final do frete (custo + lucro).

O que influencia no cálculo do frete

Precisa-se de controle, para analisar corretamente o valor pago por um frete. Questões que necessitam de passar por análise para compor esse preço envolvem a taxa cobrada pelo peso e as dimensões da carga.

A taxa de gerenciamento de riscos (GRIS) representa outro fator. Eletrônicos, produtos alimentícios, por exemplo, correm diferentes perigos na estrada: roubo, furto e dano à carga. A conta que precisa entrar no cálculo é ligada ao seguro do que está sendo transportado.

Uma outra taxa é a de restrição do trânsito. Existem cerca de 200 municípios no país que têm restrições sobre o horário que o caminhão pode circular. Isso quer dizer que o caminhoneiro pode ser obrigado a fazer entregas no período noturno e fora de finais de semana. Portanto, é preciso ponderar essas circunstâncias.

Quando o transporte é de carga fracionada, o caminhoneiro deve avaliar como fica melhor para fazer a entrega, aproveitando da melhor forma possível o espaço do veículo e o deslocamento necessário para concluir o trajeto.

Ainda há o Imposto sobre Circulação de Mercadorias de Prestação de Serviços (ICMS). Em cada estado há um percentual cobrado. A cobrança de impostos fica especificada no Conhecimento de Transporte Eletrônico (CTE). É esse documento que dá autorização para a circulação das cargas.

Em resumo, preste atenção nos fatores a seguir:

  • taxa de peso;
  • taxa de gerenciamento de risco (GRIS);
  • taxa de restrição ao trânsito;
  • carga fracionada;
  • ICMS.

Descubra 9 dicas para calcular o frete

Custos de operação

Muitos caminhoneiros, na hora de calcular o frete, acabam incluindo na conta somente o grosso do que foi gasto, deixando passar outros custos que parecem sem importância. Mas cuidado: isso pode cortar uma parte significativa do seu lucro.

Por isso, para calcular os custos de um frete, não inclua simplesmente o valor do combustível rodado. É preciso considerar itens como:

Custos fixos e variáveis

O chamado custo fixo é aquele que independentemente da viagem, distância e carga, o caminhoneiro vai ter religiosamente no mês. Isso representa a contribuição beneficiária, para citar um caso, possivelmente o seguro do veículo (se o preço estiver dividido) e o salário para quem é autônomo.

O variável não existe mensalmente. Ele vai depender da distância da viagem, do tipo de carga transportada, quantidade de pedágios a serem pagos e o imposto gerado na nota.

Só para exemplificar, no caso das manutenções, some o que foi gasto nos últimos 3 meses, por exemplo, e divida por 3 para obter uma média.

Com esse número em mãos, divida por um número de fretes mensais que seu caminhão e motorista poderiam fazer sem problemas. O resultado será o valor embutido das manutenções/custos no frete.

Exemplo:

Média de gastos mensal Média de fretes por mês Valor embutido
R$1.000 12 R$83,3

Daí é só decidir o método: se vai embutir esse valor no preço do km ou peso.

Tamanho do caminhão

Os caminhões maiores têm frete mais caro porque carregam mais peso, pagam valor de pedágio maior, consomem mais combustível e são melhores aproveitados em viagens longas. Os menores seguem uma tendência de terem fretes mais baratos por carregarem menores cargas e consumirem menos, podendo também fazer mais viagens curtas.

Medidas

Decidir as medidas corretas para calcular o frete também é essencial. Isso porque quem transporta uma carga de espumas para estofados, por exemplo, está levando muito mais volume do que peso. Assim, se você cobrar por peso, perderá dinheiro.

Por isso, existe algo que deve ser sempre considerado: comparar a cubagem x peso da mercadoria:

  • cubagem: calcula-se o volume da carga no caminhão e não somente seu peso. Assim, garante-se uma cobrança mais correta e evita prejuízos para quem cobra somente pelo peso da carga.
  • peso da mercadoria: calcular o frete com base no peso é ideal quando se vai levar cargas pesadas, pois quanto maior o peso, maior será o consumo de combustível.

Seguro do caminhão

Não é só a mercadoria que precisa estar segurada. O veículo precisa ter proteção para resguardar o caminhoneiro. No atual cenário econômico, buscar uma associação de proteção veicular permite baratear esse custo, sem diminuir os serviços recebidos. Divida o quanto foi pago de seguro por mês, e esse valor deve estar diluído nos fretes realizados.

Impostos

Também não se pode deixar de calcular a incidência de impostos sobre a mercadoria que você transportará.

Informe-se detalhadamente sobre os impostos cobrados no estado em que você atua e também no que você irá entregar.

Leis municipais também devem ser sempre conferidas para evitar surpresas. Evite a prática da “meia nota”, que é ilegal e pode render multas e sérios problemas com a justiça.

Riscos da carga e da viagem

É preciso considerar ainda os riscos. Com o valor da nota transportada, você já terá uma noção do seguro de carga que terá de fazer. Mas, além disso, sempre inclua no cálculo o TRT (Taxa de Restrição de Trânsito) e o TDE (Taxa de Dificuldade de Entrega).

  • TRT: leis e regras que dificultam a entrega em centros urbanos, encarecendo os custos operacionais. Consulte as cidades e restrições aqui.
  • TDE: regras de recebimento como ordem de chegada, obrigatoriedade de ajudantes, notas e condições especiais exigidas pelo cliente no ato da entrega e que geram custos adicionais. Veja aqui.

Margem de lucro

O lucro da viagem é a quantia definida que o caminhoneiro terá depois que ele já sabe quanto de custo o frete acarretará.

Esse excedente precisa ser utilizado para futuras melhorias, como a compra de um caminhão novo ou de outro veículo e melhoria dos equipamentos. A margem de lucro deve ser priorizada para investimento no seu negócio, até porque o salário está na parte de custo fixo.

Tudo na ponta do lápis

Não tenha medo de colocar tudo na ponta do lápis na hora de fazer o cálculo. Mantenha sempre um histórico de manutenção do seu caminhão, pois isso ajudará a definir o valor gasto por mês.

Calcularo frete de caminhão não é tarefa simples, mas é obrigatória para garantir o crescimento. Quem encara a vida de caminhoneiro está mais que preparado para isso!

Se você quer descobrir mais sobre como crescer profissionalmente, dê uma olhada nesse material que ensina as vantagens de se rastrear sua carga de caminhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *