Errar na hora de comprar peças de caminhão significa prejuízo e gasto desnecessário, tudo o que ninguém quer.

Para que você não tenha esse tipo de problema, acompanhe as 4 dicas que preparamos com a intenção de auxiliar você a escolher as melhores peças para o seu veículo e evitar dores de cabeça no futuro. Boa leitura!

1. Faça uma pesquisa bem elaborada

Como há diversas lojas oferecendo o mesmo tipo de produto, não deixe para comprar no primeiro local que você for. Fazer cotações auxilia a identificar como está o mercado e quais os preços que estão sendo praticados. Essa é a forma de encontrar a opção mais barata.

Leve em consideração o atendimento, como a loja procede se for preciso pedir garantia e os prazos exigidos. Pergunte também sobre os valores praticados à vista e parcelado. Lembre-se de que o pagamento em dinheiro sempre pode render algum desconto a mais. Outro detalhe é verificar se as peças cotadas são da mesma marca e se são paralelas ou originais — isso faz toda a diferença, veja mais na sequência.

A cotação deve ser feita também com o serviço de substituição. Mecânicos praticam valores diferentes. Mas além do preço, procure um profissional que te dá confiança tanto no diagnóstico como no reparo. O fato é que nem sempre o preço é o único fator. Ter garantia, boa durabilidade e confiança no serviço precisam sempre ser levados em conta.

2. Tenha um diagnóstico sobre o caminhão

Quem mantém uma revisão em dia, consegue garantir que menos peças fiquem desgastadas de uma só vez e o gasto de reparo seja muito alto. Realizar um diagnóstico regular, entre viagens ou dentro da quilometragem prevista pela montadora, poupa tempo de caminhão parado na oficina para ser consertado ou esperando a chegada de peças e dinheiro.

Essa prática também permite identificar quais peças estão mais próximas de serem desgastadas e até se programar financeiramente para não ser pego de surpresa. A regra é ficar sempre de olho na caixa de câmbio, escapamento, troca de óleo e filtros, suspensão, verificar o desgaste dos pneus (se estão regulares ou não) e barulhos do motor, bem como a potência oferecida em diferentes trajetos.

3. Fique de olho em pneus e óleo

Duas partes específicas podem denunciar diversos problemas no caminhão. Os pneus que ficam desgastados antes do tempo ou de forma irregular indicam que componentes da suspensão podem estar estragados, que o peso no veículo está acima do suportado ou mesmo que a calibragem não está correta.

Com pneus ruins, o caminhão tende a exigir mais do motor e da suspensão, ocasionando futuras idas à oficina — que não saem muito baratas. Portanto, procure mantê-los corretamente calibrados e observar regularmente o estado deles para não ter que desembolsar uma grana preta depois.

Já o óleo é fundamental para o perfeito funcionamento do motor — um dos componentes mais caros do veículo. Se ele não é trocado dentro do prazo, pode gerar desgaste excessivo no propulsor. Alterações na sua estrutura também indicam danos em diferentes sistemas de funcionamento e é necessária uma revisão.

4. Compare peças de caminhão originais ou de segunda linha

As peças originais são as produzidas pelo próprio fabricante ou por empresas contratadas e têm um custo maior. Ao mesmo tempo, elas também devem durabilidade e qualidade mais elevadas, porque seguem normas restritas das montadoras. Em geral, também possuem uma garantia melhor.

As paralelas são produzidas por empresas que não estão envolvidas com as fabricantes. Muitas vezes, as medidas que elas apresentam têm pequenas variações das originais e, por isso, sua instalação depende que o mecânico também esteja preparado para fazer pequenas adaptações. Essa não é uma regra, mas algumas partes apresentam essa situação.

custo-benefício que precisa ser observado é que as originais, que custam mais, tem durabilidade maior e uma garantia mais eficiente. Ao substituir uma peça, lembre-se de que além do preço do produtor, é preciso colocar na balança o custo da manutenção.

Quem precisa comprar peças de caminhão corretamente deve seguir esses passos para economizar, fazer a manutenção correta e ter segurança para rodar muitos quilômetros. Faça bom aproveito dessas dicas e também ajude outros colegas de estrada, compartilhando este post nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *