Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, os caminhoneiros e motoristas em geral vivenciaram uma nova realidade nas rodovias: o bloqueio de estradas. Apesar de ser uma situação já conhecida, neste caso ela tornou-se mais crítica e trouxe mais consequências.

Atualmente, o que vemos é a reabertura de cidades. Isso porque medidas de restrição estão sendo gradualmente desfeitas em busca do novo normal. Mesmo assim, para os caminhoneiros, é necessário entender o fechamento de estradas, que ainda acontece e pode aumentar de acordo com o controle da pandemia.

Então, se você se deparou com essa situação, venha saber mais sobre o porquê de tudo isso:

Afinal, por que realizar o bloqueio de estradas?

Bom, em geral, o bloqueio de estradas pode ser usado por vários motivos, governamentais ou não. No caso da pandemia, por exemplo, o bloqueio de estradas ainda é uma estratégia usada em determinados locais para conter a disseminação do novo coronavírus.

Nestes casos, os bloqueios se aplicam a motoristas de veículos de passeio, para impedir viagens e circulação para o interior ou regiões turísticas, por exemplo. Pois, como sabemos, o transporte de cargas rodoviário é considerado uma atividade essencial no momento pelo qual passamos e precisa funcionar.

Portanto, os caminhoneiros podem ir e vir normalmente, desde que estejam trabalhando. Mesmo assim, os irmãos de estradas devem ficar atentos às regras impostas por cada município, pois podem afetar sua rotina. Em algumas cidades, há barreiras sanitárias, fechamento de comércios não essenciais, etc.

Outro motivos

Podem ser citados também os seguintes motivos para bloqueio de estradas:

  • manifestações de causa socioeconômica e política;
  • ordens governamentais, para impedir circulação de carros, manutenção de pistas, etc;
  • estratégias de órgãos que fazem controle do trânsito para modificar rotas dos motoristas, evitar congestionamentos, entre outros.

Vale lembrar que o fechamento de rodovias não deve ser uma decisão aleatória, afinal, sabemos que todo cidadão tem o direito de ir e vir. Portanto, são necessárias justificativas para que isso aconteça.

E, quando há necessidade, todos devem entender os seus motivos, como é o caso da pandemia em que os bloqueios são formas de proteção às pessoas. Além disso, o bloqueio não impede situações essenciais e graves, como a circulação de ambulâncias, cargas de remédios, etc.

Diante da situação de pandemia pela qual o Brasil ainda passa, o Estadão disponibilizou em seu site um infográfico atualizado com os pontos de bloqueio das estradas no país. Assim, caso você precise programar rotas e viagens, basta conferir o mapa e descobrir se o local está aberto para circulação. Bem legal e útil para os irmãos de estrada, não é mesmo?

Quais as consequências?

Infelizmente, o bloqueio de estradas não é somente benéfico, mesmo quando é necessário e não há outra solução. Afinal, a dificuldade de circulação impacta diretamente a vida de todas as pessoas.

Sendo assim, podemos pontuar as seguintes consequências:

  • restrição de circulação entre cidades e estados;
  • diminuição da movimentação de mercadorias;
  • diminuição das atividades de turismo;
  • viagens a passeio ou trabalho;
  • e outras consequências de acordo com cada pessoa.

Para os caminhoneiros

Claro que para quem trabalha nas estradas, a situação de bloqueio é muito mais crítica. Afinal, interfere no dia-a-dia do trabalho. Assim, em casos que até mesmo os caminhoneiros ficam impedidos de circular, como aconteceu no começo da pandemia, os danos são maiores.

Os motoristas do transporte de cargas rodoviárias são os grandes responsáveis pela circulação de mercadorias e abastecimento de cidades, como você já sabe, correto? Então, quando não é possível realizar suas funções, a sociedade sofre com resultados em cadeia.

Você está se perguntando o que isso significa? Bom, sem os caminhoneiros, grande parte dos produtos não chegam aos locais que precisam. Isso faz com que os motoristas fiquem sem emprego, mesmo que temporariamente, e que o setor de transporte e logística sofra com muitos prejuízos.

Contudo, além disso, os cidadãos que não recebem suas cargas também são impactados. Afinal, os comércios ficam sem recursos para funcionar normalmente, as pessoas não conseguem comprar os insumos necessários, e os prestadores de serviço não conseguem trabalhar de acordo com as demandas.

Deste modo, as medidas de bloqueio das estradas começam com consequências a curto prazo. Por exemplo, a falta de algum produto na mercearia próximo à sua casa. Mas, no tempo acumulado, a médio e longo prazo, até mesmo a economia do nosso país pode sofrer fortemente.

Se este e outros assuntos sobre a pandemia interessam a você, clique aqui e leia agora as últimas notícias dos caminhoneiros. Estamos todos juntos nessa, companheiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *