A profissão de caminhoneiro envolve uma paixão que contagia o profissional. Afinal, são horas a fio na estrada, muitas vezes contando apenas com o bom e velho rádio como companhia.

Pois é, para ser caminhoneiro, é preciso amar a profissão e ter o máximo de empenho para cuidar das cargas, preciosas para os contratantes. Nem por isso ele deixa de enfrentar dificuldades.

Quer saber quais são eles? Então continue a leitura e descubra quais são os principais problemas na estrada.

Saudades da família

Na vida de quem transporta a riqueza do Brasil pelas estradas, algo que pesa é saber que, a cada carregamento, a família (mãe, pai ou esposa, filhos) fica distante. Por isso a palavra saudade é como um adesivo fixo na memória e no coração do motorista.

Quem precisa tirar da estrada sua subsistência, muitas vezes perde festas familiares, encontros nos finas de tarde com os parentes, a primeira palavra ou passo do filho ou filha. A distância só alimenta o amor pelos entes queridos e também torna a volta para casa algo triunfante e muito recompensador. Quem dirige caminhão aprende a ter o coração dividido entre a paixão pela profissão e a família.

Solidão

O serviço de caminhoneiro é uma função solitária. A boleia do caminhão e as músicas preferidas são as principais companhias nas horas  ininterruptas de direção.

Como o profissional trabalha com prazos, é preciso dirigir por longas horas para fazer a viagem render. Ao mesmo tempo, é necessário realizar paradas pontuais para ajudar a saúde do motorista, que fica sentado todo o tempo de seu trabalho.

Pela Lei 13.103/2015, a jornada de trabalho do caminhoneiro deve ser de 8 horas diárias, podendo chegar a 12 horas. Mas a orientação é não manter o motorista conduzindo por mais de 5 horas ininterruptas. O período de descanso deve ser de 30 minutos, pelo menos.

O caminhoneiro sabe que pode contar com apoio no caso de um imprevisto, o que também é um suporte para diminuir a solidão. Essa ajuda vem de outros caminhoneiros, funcionários de postos de combustível e associações de proteção veicular.

Problemas em estradas com má conservação

Se fossem somente a saudade e a solidão, o caminhoneiro poderia tentar lidar com essas situações e programar a volta o mais ligeiro possível. A situação se torna mais crítica porque a condição das estradas brasileiras deixa muito a desejar. Em algumas regiões, elas praticamente não têm asfalto.

Os prejuízos financeiros com um possível dano no caminhão é apenas um dos problemas na estrada. Rodovias ruins aumentam o risco de acidentes, além de tornarem as viagens mais demoradas, perigosas e cansativas. 

Noites sem dormir

Jornada longa para o caminhoneiro representa noite de sono mal aproveitada. Em geral, o profissional vai precisar dormir na estrada e o local de parada é um posto de combustível, uma base da polícia ou uma praça de pedágio. Apesar da Lei do Descanso, a infraestrutura oferecida é deficiente. Faltam banheiros, áreas para alimentação etc.

Dirigir cansado pode ser igual a dirigir embriagado. É um dos motivos que mais causam colisões, depois de velocidade, álcool e drogas. O sono é uma exigência corporal. Enquanto dormimos, o corpo trabalha para a produção de hormônios e faz a regulação de diversas funções. O ciclo na produção do hormônio melatonina, por exemplo, tem seu pico às 3 horas e se repete 12 horas depois. É ele que faz a gente ter sono.

Insegurança nas paradas

Não ter paradas adequadas também coloca em risco a segurança do caminhoneiro, tanto o independente como o de frota. Assaltos podem ocorrer no momento em que o veículo está estacionado e os bandidos escolhem pontos com maior facilidade para a abordagem. Prefira áreas mais iluminadas e com a presença de segurança.

Hoje, até mesmo em trânsito, há risco, porque os assaltantes, cada vez mais ousados, chegam a fazer barricadas para parar os motoristas em algumas regiões brasileiras.

Os problemas nas estradas ainda dificultam a vida do profissional que tem em suas mãos e rodas a riqueza do Brasil para ser conduzida. Identificar essas situações é o primeiro passo para tentar melhorias. Sanar esses problemas também vai ajudar no cuidado da saúde do profissional para que ele esteja sempre mais disposto para, na volta ao lar, aproveitar o tempo com a família.

Quer se manter informado sobre o mundo do caminhoneiro? Assine a nossa newsletter! Você vai ficar sempre muito bem atualizado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *