Se você chegou até a este post, significa que está pensando se está na hora ou não de comprar um caminhão e quais as principais dicas para seguir antes da compra.

Fique tranquilo! A AVEP Brasil preparou um post super completo especialmente para você!

Quais são os sinais de que é a hora de trocar de caminhão?

Apesar de parecer simples, tomar a decisão de trocar o veículo é complexa e depende de diversos fatores. Nesses casos, é importante pensar que o mau estado do caminhão pode trazer prejuízos significativos. Caminhão parado é o pesadelo do caminhoneiro, não é mesmo?

Então, quais serão os principais indícios de que é melhor trocar de caminhão?

#1: Gastos frequentes com consertos e reparos

O investimento feito em manutenção preventiva e reparos no veículo é comum e deve fazer parte da rotina, uma vez que auxiliam na garantia da qualidade e segurança do frete. Entretanto, o problema acontece quando os gastos passam a ser mais frequentes que o normal.

Caminhões mais antigos, em geral, quando no fim da sua vida útil, passam a apresentar diversas falhas recorrentes, e o processo passa a ser como a famosa expressão “enxugar gelo”. Você conserta uma peça em um dia, e pouco tempo depois a mesma peça volta a dar problema.

Se identificou? Esse é um sinal claro de que esse transtorno será rotineiro e trará dores de cabeça, além do gasto financeiro, que pode, inclusive, reduzir a margem de ganho nos fretes.

Alguns especialistas indicam que, se os gastos com manutenção anual passarem de 10% do valor total do veículo, deve-se pensar na troca do mesmo.

#2: Baixo desempenho

Esse indicativo também se relaciona ao fim da vida útil do caminhão. Se, mesmo com as revisões regulares, o rendimento do veículo – em termos de consumo de gasolina ou outros insumos, potência ou capacidade de deslocamento- diminuiu muito, talvez seja hora de trocá-lo.

Esse fator merece atenção pois pode ser influenciado por diversos outros aspectos além da vida útil. O modelo do caminhão, a montadora, o uso de peças paralelas, e até mesmo a qualidade do combustível utilizado também podem causar baixo desempenho.

Dessa forma, sugere-se uma avaliação criteriosa para verificar se é, realmente, o tempo de uso do veículo que está causando a baixa performance.

#3: Excesso de barulhos e/ou fumaça

Um dos maiores motivos de desconforto dos caminhoneiros é o excesso de ruído feito pelos caminhões – em especial os mais antigos. Esse barulho é causado pelo desgaste das peças, que são um resultado normal do fim da vida útil do caminhão.

Além dos ruídos, é muito comum que caminhões mais velhos emitam fumaças mais escuras e com bastante intensidade – isso pode ser corrigido em alguns casos-, mas se for constante, diversos prejuízos podem decorrer desse problema: gastos maiores com combustível, problemas respiratórios pela inalação da fumaça, e também a contribuição para a poluição atmosférica.

Alguns outros sinais de que é a hora de trocar de caminhão são o aparecimento e reaparecimento constante de vazamentos, a necessidade de veículo adaptado para outros tipos de frete e mesmo a necessidade de atualização em relação às novas tecnologias.

A troca do veículo deve ser bem planejada, uma vez que envolve altos investimentos. Deve ser uma escolha racional, que encaixe no orçamento e atenda às suas necessidades.

Agora que você já consegue perceber se está na hora, ou não, de trocar o caminhão, conheça algumas das principais inovações para o mercado de caminhões:

Inovações para caminhões: o futuro está próximo!

As mudanças e aperfeiçoamentos que surgem para facilitar e otimizar o dia a dia dos caminhoneiros podem fazer muita diferença no tempo de entrega e também na melhor valorização do frete.

Algumas delas já são uma realidade, outras ainda se encontram na fase de testes, mas vale ficar por dentro do que a indústria está fazendo, não é mesmo?

1: Direção Autônoma/Piloto Automático

Existe, nas mais diversas áreas, um esforço para fazer com que a tecnologia se desenvolva de forma a otimizar funções e executar tarefas repetitivas. No caso de fabricantes de caminhões, essa busca também é uma realidade.

Empresas como a Volvo Scania investem em pesquisas voltadas para a área e têm feito testes para colocar a tecnologia de direção autônoma no mercado.

Essa tecnologia de ponta é especialmente interessante em situações que oferecem risco aos caminhoneiros, como em áreas muito íngremes, sem visibilidade e/ou com terrenos muito irregulares, auxiliando-o na condução do veículo.

Mas não é útil apenas para esses contextos. Em uma situação mais próxima da realidade da maioria dos caminhoneiros, a inovação voltada para direção autônoma também pode colaborar muito na realização de manobras complexas.

2: Computadores de Bordo

Já bastante comuns em veículos de passeio, essa inovação para caminhões já tem chegado com mais força. Muito além de mostrar rotas no display, os computadores de bordo podem servir como ferramenta para tomada de decisão estratégica.

Atualmente, esses equipamentos podem fornecer informações, em tempo real, sobre rotas e também sobre o próprio caminhão, como a necessidade de troca de óleo, ou problema em alguma peça, por exemplo.

Algumas outras funcionalidades dessa tecnologia também são o horímetro, relógio, quilometragem total e parcial.

3: Motores Elétricos

Em outros países, tais como alguns da Europa, a fabricação de caminhões com motores elétricos já era uma realidade há algum tempo.

No Brasil, essa vertente chegou como inovação no setor a passos lentos, devido ao apelo pela sustentabilidade no transporte rodoviário, mas podem também agregar muitos outros benefícios para os caminhoneiros e a sociedade de forma geral.

Esse tipo de motor apresenta maior eficiência e emite menos poluentes gasosos com a queima do combustível. Além disso, emite menos ruído, aumentando o conforto auditivo dos caminhoneiros.

4: Câmbio automático

Uma das atividades mais cansativas ao dirigir é a troca de marchas. Especialmente considerando o intenso movimento em algumas rodovias e a falta de conservação das mesmas, essa atividade pode passar a ser maçante.

Além disso, evita a ocorrência de lesões por esforço repetitivo, também associado à troca de marchas.

Portanto, o câmbio automático é uma inovação capaz de melhorar o conforto e saúde do caminhoneiro durante a execução das rotas.

Existe ainda uma grande demanda de inovações para caminhões, mas o setor tem evoluído cada vez mais rápido. Quer sejam voltadas para a melhoria da eficiência ou para a segurança do motorista, as mudanças, em geral, são positivas e auxiliam na melhoria da competitividade e economia de recursos!

A AVEP identificou, ainda, os modelos de caminhão preferidos dos caminhoneiros. Use a lista para se inspirar:

Um bom profissional sabe exatamente como avaliar seu instrumento de trabalho — e com os motoristas não é diferente. Antes de decidir qual comprar, eles analisam a sua estrutura, o motor, complementos e sempre escolhem as marcas de caminhão que vão proporcionar o maior custo-benefício.

Mas você sabe quais são as marcas que geram mais satisfação para os caminhoneiros? O famoso T 133, por exemplo, foi lançado em 1991 pela Scania e chegou a vender 26.398 unidades até 1998. Tinha um motor com capacidade de 11 litros e 360 cv, e era de fácil mão de obra, com peças de reposição fáceis de serem encontradas.

Considerado o modelo mais comercializado da história da Scania, o veículo tornou-se o favorito dos motoristas por causa da sua força e conforto. Quer conhecer outras marcas de caminhão que estão entre as preferidas pelos caminhoneiros e foram líderes de venda em 2017? Então continue lendo este post!

Volkswagen Delivery 10.160

Com 2.141 veículos licenciados, o Delivery 10.160 vem com motor Cummins de 162 cv e torque de 69,3 kgfm de 1.300 a 1.700 rpm. Conta, ainda, com três opões de entre-eixos: 3.300, 3.900 ou 4.300 mm.

Ford Cargo 816

Esse caminhão, que comercializou 816 unidades, é indicado para áreas urbanas e conta com três distâncias de entre-eixos: 3.300, 3.900 e 4.300 mm. O PBT é de 8.250 kg. Apresenta um motor de 4,5 litros e 162 cv e torque de 56,1 kgfm de 1.100 a 2.000 rpm.

Volkswagen Delivery 8.160

Com 2.425 unidades vendidas, esse modelo tem capacidade para 8.150 kg de PBT e conta com motor Cummins de 160 cv e torque de 61,2 kgfm de 1.300 a 1.700 rpm. Traz, ainda, três distâncias de entre-eixos: 3.300, 3.900 ou 4.300 mm.

Scania R440

Com 3.033 vendas, esse modelo é considerado o mais eficiente no quesito custo por quilômetro rodado. Ele permite diversas configurações de tração, suspensão e cabines e conta com motor com capacidade para 13 litros, gerando 440 cv e torque de 234,5 kgfm de 1.000 a 1.300 rpm.

Volkswagen Constellation 24.280

Esse modelo, que comercializou 2.091 veículos, vem com cabine simples ou estendida e seu teto pode ser alto ou baixo. O motor tem capacidade para 7 litros com 277 cv e torque de 107 kglm de 1.100 a 1.700 rpm. O câmbio pode ser manual ou automático. Conta, ainda, com três distâncias entre-eixos: 3.560, 4.800 e 5.207 mm.

Volvo FH 460

Recomendado para longas distâncias, conta com motor de 460 cv e torque de 235 kgfm de 1.000 a 1.400 rpm. Tem capacidade para cem toneladas e configuração de 4×2 até 8×4. Sua suspensão é metálica ou pneumática. O veículo emplacou 1.956 unidades vendidas em 2017.

Volvo FH 540

Outro campeão de vendas foi o FH 540, com 2.008 unidades comercializadas no ano passado. Segundo a representante, o veículo proporciona segurança, conforto e economia. Seu motor tem capacidade para 13 litros, que gera 540 cv e torque de 265 kgfm de 1.050 a 1.450 rpm. Além disso, vem com câmbio I-Shift.

Mercedes-Benz Accelo 1016

Outro grande líder de mercado, com 1.692 unidades vendidas, foi o Mercedes-Benz Accelo 1016 da categoria leve. O motor tem capacidade de 4,8 litros de 156 cv e torque de 62 kgfm de 1.200 a 1.600 rpm. O veículo pode ser adquirido com até três distâncias de entre-eixos: 3.100, 3.700 ou 4.400 mm.

Mercedes-Benz Accelo 815

Com 1.691 unidades vendidas, o caminhão é adaptável para receber um terceiro eixo e tem capacidade para 8.300 kg de PBT. O motor é de 156 cv e torque de 59 kgfm de 1.200 a 1.600 rpm. O veículo pode ser usado para transporte de carga dentro da cidade e também em rodovias de curtas distâncias.

Mercedes-Benz Sprinter 415 CDI

Esse modelo, que vendeu um total de 1.427 unidades, carrega um motor de 146 cv, com torque de 33,6 kgfm de 1.200 a 2.400 rpm. Tem capacidade para 2.040 kg de carga e é indicado para a distribuição de cargas em ambientes urbanos.

Agora, para que você possa comprar seu caminhão novo sem erros, siga as dicas da AVEP Brasil:

A compra de um caminhão, por ser um investimento muito alto, requer uma avaliação cautelosa de alguns detalhes na hora da procura pelo veículo ideal. Afinal, além do valor, é preciso levar em consideração alguns fatores que vão desde a sua necessidade até a segurança.

Quer aprender como comprar um caminhão de qualidade e ter mais segurança em cada quilômetro rodado no “tapetão”? Então encontrou o artigo certo! Reunimos, a seguir, os pontos principais que demandam atenção ao adquirir o veículo. Acompanhe!

Analise as suas necessidades

O primeiro ponto importante a ser avaliado sobre como comprar um caminhão é as suas necessidades e o que você espera do veículo. Cada modelo é indicado para uma funcionalidade, não é mesmo?

Portanto, antes de olhar e escolher um modelo específico, avalie o tipo de carga que você transporta, os locais que trafega, a frequência e distância em que faz as viagens e, principalmente, o quanto você poderá pagar pelo veículo.

Como dissemos, a compra de um caminhão requer um investimento alto e, sendo assim, você nunca deve comprar o primeiro que achar. Pesquise em diferentes anúncios e concessionárias e sempre pense nas suas necessidades.

Verifique o desempenho e a durabilidade do veículo

Para que você não corra o risco de perder dinheiro, o seu caminhão deve ter uma boa durabilidade, ter bom desempenho e estar sempre trabalhando. Afinal, caminhão parado é dinheiro perdido. Então, antes de comprar o veículo, confira a resistência dele e se apresenta algum “choro” — inclusive, se a sua rota inclui estradas de terra e asfaltos ruins.

Além disso, caso estiver pensando em comprar um caminhão usado, avalie o estado dele, se tem muitas peças trocadas, e a facilidade de manutenção e reposição dos itens. Não adianta adquirir um veículo com bom preço, mas ter dores de cabeça depois.

Veja o tipo de carroceria

Outra dica muito importante na hora de adquirir um caminhão é verificar o tipo de carroceria. São inúmeros modelos que devem ser escolhidos de acordo com a carga e o preço que você está disposto a pagar.

Existem carrocerias que são próprias para o transporte de cargas vivas, modelos exclusivamente projetados para líquidos inflamáveis e até carrocerias específicas para produtos que devem permanecer refrigerados.

Quanto mais sensível for a carga e quanto mais peso a carroceria suportar carregar, mais elevado será o preço de compra e de manutenção, principalmente porque, quanto mais pesados forem os itens que você transporta, mais desgaste terá as peças e mais combustível será necessário.

Certifique-se da necessidade de proteção do veículo

Os gastos que envolvem a compra de um caminhão não são somente as parcelas e manutenções. Um dos medos mais comuns de caminhoneiros é que aconteça alguma coisa com o veículo e eles tenham que desembolsar muito dinheiro.

Portanto, avalie os custos do modelo do veículo para a contratação de proteção veicular. Essa prática não deve ser vista como um gasto, mas, sim, como segurança da sua ferramenta de trabalho, para não ter que arcar com custos maiores no futuro. É melhor prevenir do que remediar!

Aprender como comprar um caminhão também inclui a proteção do seu veículo. Para isso, o indicado é que você contrate associações de proteção veicular para garantir a segurança do seu caminhão e não ter dores de cabeça ou sofrer com problemas que pesem no bolso!

O que achou desse conteúdo? Essa e outras dicas você encontra no nosso blog, Facebook e também no Instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *