Fretes de caminhão: 5 erros que atrapalham o seu cálculo

Fretes de caminhão: 5 erros que atrapalham o seu cálculo

Calcular o frete de caminhão pode parecer uma tarefa sem dificuldade, especialmente quando se está habituado a fazer isso há muitos anos e do seu próprio jeito. Porém, muitos caminhoneiros e frotistas acabam cometendo alguns erros que se traduzem em perda de faturamento.

Muita coisa muda com o tempo: a maneira de transportar as cargas, a legislação, os impostos etc. Tudo isso acaba defasando a maneira de calcular o frete de muitos caminhoneiros, levando-os a perder dinheiro na hora de fazer o cálculo. Mas isso pode começar a mudar para você.

Para ajudá-lo a não cometer mais os mesmos erros comuns que levam à perda de dinheiro com o frete, separamos os cinco principais erros que devem ser evitados na hora do cálculo. Segundo essas dicas, pode ter certeza de que você nunca tomará prejuízo. Vamos lá?

1. Avaliar mal o peso das cargas

Muita gente não sabe, mas existem duas maneiras de calcular o valor do frete: uma é pelo peso e a outra é pela cubagem.

A primeira, como é de se imaginar, avalia o peso da carga a ser transportada; já a segunda avalia o volume que a carga ocupa no baú do caminhão.

É preciso, sempre, avaliar qual é a maneira mais vantajosa. Como regra geral, cobre por peso para as mercadorias que ocupam menos espaço no baú mas carregam muito no peso. Agora, se a carga for leve mas ocupar muito espaço no baú, prefira a cubagem.

2. Deixar de incluir os pedágios

Nunca deixe de incluir o valor dos pedágios no frete. Fique atento para os reajustes que acontecem na via e, se fechar um frete com antecedência e já souber que haverá reajuste na data do transporte, cobre o preço atualizado.

3. Esquecer-se do GRIS

O GRIS (Gerenciamento de Risco em Transporte Rodoviário de Cargas) é uma taxa calculada sobre o valor da nota fiscal do produto transportado. Ele deve ser cobrado sempre, pois serve para cobrir os custos de serviços de prevenção de roubo de cargas.

4. Deixar de cobrar a TRT

As cidades grandes costumam restringir a circulação de veículos de carga a determinados horários. A TRT (Taxa de Restrição ao Trânsito) deve ser cobrada quando o caminhão tiver que circular nesses horários de restrição e correr o risco de ser multado.

5. Errar no cálculo do ICMS

Na hora de fazer o cálculo do frete, basta inserir o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que está tudo certo, não é mesmo? Errado! O ICMS é um imposto estadual e pode variar bastante de um estado para outro.

Por isso, certifique-se de que está incluindo o valor do ICMS correto no frete para não ter surpresas na hora de pagar o imposto.

E aí, você comete ou já cometeu algum desses erros na hora de calcular o frete de caminhão? Então, comece a evitá-los, aproveite também para entender as vantagens de rastrear a sua carga e pare de colocar o seu negócio em risco de uma vez por todas!

Deixe um comentário