O superaquecimento do motor a diesel pode ser um problema bem sério na vida do caminhoneiro. Por isso, pode acreditar que assim como cuidamos da nossa saúde, tomar as devidas providências de manutenção e revisão do motor ajuda enormemente.

Assim você garante a longevidade do seu caminhão — além de evitar prejuízos ao longo do caminho. 

No meio da estrada, é normal avistar veículos parados. E adivinha? Na grande maioria das vezes, a razão é o superaquecimento do motor.

Embora o motor a diesel seja construído para aguentar temperaturas até 100ºC, mesmo assim ele pode aquecer demais e parar de funcionar. Ou ainda pior, sofrer consequências permanentes como ter a junta queimada ou até a fundição do motor. 

Uma das maiores causas é a falta de uma manutenção preventiva. Por isso, é importante que todo caminhoneiro pelo menos entenda um pouco sobre os perigos e possíveis prevenções. 

Confira abaixo informações detalhadas sobre como o superaquecimento pode acontecer e o que você pode fazer para impedir ou resolver esse tipo de situação.

Tipos de motores a diesel

Antes de nos aprofundarmos nas questões principais como causas e prevenção, é necessário conhecer os tipos de motores a diesel existentes. Afinal, para cada um existe uma aplicação. Vamos conhecê-los?

  1. Estacionários: específico para máquinas como geradores, máquinas de solda, bombas e equipamentos que trabalham em rotação constante. Ou seja, funciona para o acionamento de máquinas estacionárias;
  2. Industriais: utilizado para acionamento de máquinas específicas da construção civil, mineração ou sistemas hidrostáticos. Alguns exemplos de uso são em carregadeiras, guindastes, veículos de operação fora-de-estrada, entre outros;
  3. Veiculares: específico para veículos de transporte de cargas ou pessoas, como caminhões e ônibus. Em geral, as explicações deste artigo são destinadas a esse tipo de motor.
  4. Marítimos: existem vários modelos, e são usados para propulsão de barcos e máquinas de aplicação naval.

Superaquecimento e o sistema de arrefecimento

É composto pelo radiador, bomba d’água, válvula termostática, sensores de temperatura, vaso expansor e pelas mangueiras. Assim, o sistema de arrefecimento é o principal responsável pelo controle da temperatura do motor.

As peças que compõem o sistema trabalham para que o motor faça uma troca de temperatura com o ambiente, retirando o excesso de calor e mantendo uma temperatura ideal entre os 85ºC e 95ºC. 

O sistema é o seu maior aliado no combate ao superaquecimento, por isso, necessita de atenção e sérios cuidados preventivos.  Deste modo, manter a limpeza e a integridade das suas peças é essencial. 

Além disso, por causa da redução da temperatura geral do motor, o sistema de arrefecimento ainda auxilia na redução de consumo do combustível e das emissões de fumaça preta. 

Possíveis causas para o superaquecimento

Ok, a “falta de manutenção” é a principal causa do superaquecimento do motor diesel, mas quais são os principais pontos que necessitam de atenção? 

É importante lembrar do equilíbrio dos líquidos no seu motor, ou melhor, sempre checar a água e o óleo. Se não houver água circulando entre as engrenagens, o resfriamento simplesmente não acontece.

Já se o nível de óleo estiver muito baixo — o que faz com que as peças do motor não recebam a lubrificação adequada — isso pode levar a um desgaste que afeta o desempenho geral de todo veículo. 

Outras causas comuns são furos em peças do sistema de arrefecimento, como as mangueiras ou o cabeçote. Além de problemas generalizados no radiador.

É essencial cuidar também da válvula termostática, item que identifica a temperatura correta do motor, e do sistema de ventilação, responsável por manter a temperatura do motor durante os momentos mais exigentes. 

Lembre-se que algo simples como uma tampa do radiador mal fechada já pode influenciar muito o aquecimento do motor a diesel. Esse problema faz com que água e o vapor quente escapem diretamente para o motor, aumentando muito a temperatura do veículo.

Como você pode ver, as causas são muitas, por isso, é preciso ficar ligado a todos os detalhes — ou, no mínimo, nunca esquecer da revisão.

Confira a lista com as principais causas resumidamente:

  • mau funcionamento da válvula termostática;
  • baixo desempenho da bomba d’água;
  • utilização do aditivo incorreto no motor, ou até mesmo deixar de usá-lo;
  • falta de lubrificação no motor;
  • defeito no sensor de temperatura da água;
  • dificuldade para acionar a ventoinha de resfriamento do radiador;
  • algum tipo de vazamento no sistema de arrefecimento.

Consequências e prevenção

Além de provavelmente fazer você ficar parado na estrada sem saber o que fazer e obrigá-lo a buscar ajuda, o superaquecimento do motor a diesel também pode causar sérios danos ao veículo.

Algumas consequências comuns são a queimação da junta e o empenamento do cabeçote. A junta pode ser trocada sem grandes problemas, já no caso do cabeçote é preciso retificar o motor — o que além de ser péssimo para o caminhão, também é bem ruim para o seu orçamento. 

Algo bem menos comum, mas que também acontece, é a possível fundição do motor. O que, infelizmente, significa também a morte do motor a diesel, fazendo com que você tenha que adquirir um motor novinho em folha para o seu veículo — e certamente você não quer que isso aconteça.

O jeito é ficar bem atento ao veículo antes de pegar a estrada e, é claro, pelo menos manter a revisão em dia (de preferência feita em um local de confiança e com funcionários treinados e experientes).

Quando em dúvida, lembre-se de checar a água e o óleo, os dois grandes indicadores do superaquecimento. 

O que fazer em caso de superaquecimento

Bom, se você não tomou os cuidados necessários e a situação ocorreu durante um trajeto, o que fazer? Sabemos que algumas situações e problemas acontecem no meio da estrada e a melhor opção é saber o que fazer.

Sendo assim, caso perceba que o motor superaqueceu, a primeira atitude é parar o veículo automaticamente. Para sua segurança, saia do carro e utilize a sinalização para avisar os outros motoristas que trafegam pelo caminho.

Aguarde em torno de até 40 minutos para esperar o resfriamento do motor. Após este período, confira o nível da água. Mas, atenção: abra a tampa com cuidado e devagar, pois caso o motor ainda esteja quente, o vapor pode causar graves queimaduras.

Ao checar o nível da água, complete com a medida necessária. Após estes procedimentos, prossiga com a viagem. Porém, assim que possível, leve o automóvel a uma oficina para realizar as avaliações e manutenções necessárias.

Caso você tenha uma associação de proteção veicular 24 horas, como por exemplo a AVEP, não hesite em contatá-la para pedir o suporte imediato e necessário.

Conclusão

O superaquecimento do motor a diesel pode trazer inúmeros transtornos ao longo de uma viagem, por isso a principal indicação é se proteger da situação. Assim, o motorista poderá seguir viagem tranquilamente.

Então, não se esqueça de realizar revisões antes de rodar pelas estradas brasileiras. Além disso, conte com uma associação de proteção veicular que possa auxiliar você durante a ocorrência.O conteúdo acima foi útil? Então, aproveitando a oportunidade, para ficar a par de todos os percalços que podem surgir pelas rodovias brasileiras, baixe nosso e-book Guia completo de como resolver os principais problemas do dia-a-dia do caminhoneiro! E, claro, não se esqueça de sempre dirigir com atenção e cuidado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *