Entra ano. Sai ano. E os pagamentos para manutenção e regularização dos veículos precisam ser feitos. São tantos boletos que em certo momento a gente nem sabe mais o que está pagando. O DPVAT é uma dessas contas anuais que chegam para todos os proprietários de veículos. E ele é diferente da proteção veicular.

Você sabe mesmo qual objetivo deste seguro? Se você é motorista de longa data (e estrada), talvez já tenha esquecido até o significado da sigla. Mas pode ficar tranquilo! Neste texto você vai encontrar tudo que precisa para entender melhor para onde seu dinheiro está indo. Confere aí!

O que é o DPVAT?

É o Seguro de Danos Pessoais Causados Por Veículos Automotores de Via Terrestre. Ele é obrigatório e deve ser pago por todos que tenham veículos. Sua aplicação é tanto para pessoas transportadas quanto para as cargas.

Em geral, todo mundo passa a conhecê-lo com as aulas de autoescola. Porém, ele existe há quase 50 anos. Ele foi criado por meio da Lei 6.194, no ano de 1974. Ao longo dos anos, o texto legislativo mudou para se adaptar aos fatores atuais.

Ele é pago junto à primeira parcela ou parcela única do Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). O valor cobrado de cada proprietário de veículos é definido pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), com base nas categorias de automóveis terrestre.

Já sabemos o que significa DPVAT, como foi criado e como é pago. Quais então são suas finalidades? Continue o texto para descobrir.

Para que serve o DPVAT?

Estamos caminhando, aliás dirigindo, em direção a mais respostas. Óbvio que um seguro é para mais seguranças. Sendo assim, devemos nos perguntar: quais as garantias o DPVAT oferece aos cidadãos?

Com o pagamento do DPVAT, quem tiver prejuízos ao se envolver em acidentes de trânsito terá indenizações ou reembolsos assegurados. E isto não levará em conta quem causou o acidente ou quem foi apenas vítima.

Qualquer envolvido, seja motorista, passageiro ou pedestre, poderá requerer o uso do seguro, desde que comprovada a situação com documentos. Por isso, é necessário entender com clareza quais coberturas o DPVAT oferece. Para facilitar sua vida, dá uma olhada na lista abaixo que explica cada um dos danos:

  • Em caso de morte, de qualquer das partes, parentes e familiares têm direito a R$ 13.500 por vítima.
  • Em caso de invalidez permanente, o valor pode chegar até R$ 13.500 de acordo com as sequelas causadas pelo acidente.
  • Em caso de despesas de assistência médica, o reembolso poderá ser feito com o valor máximo de R$ 2.700.

Quais as penalidades para quem não pagar o DPVAT?

Você está ciente que o DPVAT é obrigatório e decretado por lei. Desta forma, com objetivo de garantir a segurança de toda a população, há penalizações para quem não arcar com o valor do seguro regularmente. A principal é a perda de cobertura para o proprietário.

Além disso, o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) só será entregue para quem estiver em dia com o DPVAT. Lembrando que o CRLV é o licenciamento anual do veículo e a falta dele implica multa e pontos na carteira.

Existem outros seguros?

Acidentes não são esperados, mas podem e devem ser prevenidos. Por isso, existe uma série de seguros, além do DPVAT, que podem ser contratados. Afinal, segurança é bom e todo mundo gosta.

Um deles é o Seguro de Acidentes Pessoais e Passageiros (APP). Ele é ideal para empresa ou motoristas autônomos que transportam passageiros. Infelizmente, não é possível prever as ações das outras pessoas no trânsito. A melhor solução é proteger quem anda ao seu lado. Ficou interessado nesta oportunidade de aumentar a segurança nas estradas? Leia sobre a proteção veicular da AVEP que cobre acidentes pessoais e passageiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *