A profissão de motorista de caminhão é, sem dúvida, uma das mais importantes para o Brasil. Não é à toa: a principal matriz de transporte de carga nacional são as rodovias, com cerca de 60% de participação.

Devido à importância do caminhoneiro para a economia e história do Brasil, há várias séries, filmes e músicas que falam sobre o dia a dia do caminhoneiro, tal como “Carga Pesada”, que trouxe à tona o cotidiano do caminhoneiro para grande parte da população.

Se você veio até aqui é porque tem curiosidade sobre o que fazer para se tornar um motorista de caminhão.

Como começar a ser um motorista de caminhão?

O primeiro passo é saber que a rotina, apesar de cheia de novidades, lugares novos e amizades, é pesada. Muitas vezes a saudade de casa aperta e estar consciente disso é um passo importante para se tornar caminhoneiro.

Continue a leitura para entender tudo o que você precisa saber antes de se tornar motorista de caminhão, não cair em ciladas e estar com tudo em dia!

Habilitação

O primeiro passo para ser um motorista de caminhão é realizar todo o processo de tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para poder dirigir um veículo desse porte.

É preciso passar por aquele curso obrigatório a qualquer um que queira guiar um determinado tipo de veículo, disponíveis nos Centros de Formação de Condutores (CFCs), que deve ser homologado pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran) da região.

Para ser matriculado no curso, procure um estabelecimento de confiança. Para ser autorizado a dirigir, o condutor passará por um exame psicotécnico, um exame teórico e um prático.

Para dirigir um caminhão, o processo é um pouco mais longo que para veículos de passeio e motocicletas, segundo o Código de Trânsito Brasileiro:

  1. A primeira habilitação necessária é a categoria B, destinada para dirigir veículos de passeio, como os carros normais.

  2. Tendo um ano completo na categoria B, sem ter tomado nenhuma multa grave ou gravíssima e sem reincidência em multas médias, já é possível partir para a categoria C, que já envolve caminhões de menor porte, com possibilidade de carregar até 3,5 toneladas. As carretas são um dos exemplos que se encaixam na habilitação do tipo C.

  3. Assim que você tiver a experiência completa de mais um ano na categoria C, também sem ter tomado nenhuma multa grave ou gravíssima e sem reincidência em multas médias e ser maior de 21 anos, é possível mudar para a categoria E, que é a mais completa e garante dirigir os caminhões de maior porte. (A categoria D é específica para ônibus).

É importante lembrar que para se tornar um caminhoneiro profissional, seja na categoria C ou E, é preciso solicitar ao Detran de seu estado uma observação de que você Exerce Atividade Remunerada (EAR).

Para isso, é necessário passar por novos exames de aptidão física e mental, além de um psicotécnico.

Para caminhoneiros autônomos é obrigatória a regularização no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC), disponibilizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), e a certificação de Transportador Autônomo de Cargas (TAC).

O caminhão

Adiantamos para você que a categoria dos caminhoneiros ainda sofre para conseguir o próprio caminhão para exercer suas atividades. Se a ideia é trabalhar por conta própria, há alguns complicadores que envolvem, basicamente, a necessidade de ter uma reserva de dinheiro ou de contratar um financiamento.

“Essa é a grande reclamação do caminhoneiro autônomo brasileiro porque, simplesmente, para ter o seu próprio caminhão é preciso ter dinheiro ou um financiamento. Ou seja, tem que ter o nome limpo na praça para isso”, explica o jornalista especializado em transporte rodoviário, Leonardo Helou Doca de Andrade, que é editor-chefe de publicações como Transporta Brasil e Rodovia Brasil.

O especialista diz que até um tempo atrás, era penoso para os caminhoneiros conseguirem algum tipo de financiamento pela dificuldade de comprovar renda. Mas isso melhorou com a obrigatoriedade de emissão de uma nota eletrônica para cada serviço de frete cobrado.

Mas, mesmo conseguindo um financiamento, os custos para comprar um caminhão novo são altos, partindo de aproximadamente 200 mil reais a até 500 mil reais.

“O caminhoneiro autônomo brasileiro, em geral, opta por modelos usados e antigos pela dificuldade de compra”, afirma Andrade. Há também a opção de dirigir caminhões alugados, mas o gasto pode ser ainda mais alto, o que pode tornar essa opção financeiramente inviável para o motorista.

A importância das especializações

Há diversas possibilidades de especialização e, inclusive, são muito indicadas para o crescimento profissional e o reconhecimento de um caminhoneiro. É essencial que haja ciência dos cursos gratuitos oferecidos pelo Sest Senat, conhecido também como o Sistema “S” do transporte brasileiro, uma iniciativa de fomento à capacitação profissional.

Um dos cursos mais importantes e procurados é o de Movimentação e Operação de Produtos Perigosos (MOPP), que habilita os caminhoneiros a transportar materiais como tintas, combustíveis, solventes, inflamáveis e qualquer tipo de químico ou reagente capaz de causar danos ambientais.

Há transportadoras e empresas que, mesmo sem utilizar materiais perigosos para o transporte, exigem o MOPP, porque é uma boa sinalização de que o caminhoneiro tem uma boa formação técnica.

As dicas que apresentamos aqui são apenas os primeiros passos para que você se torne um caminhoneiro. Após estar com sua habilitação e caminhão em dia, é importante em pensar em como conseguir cargas frequentes, fretes de retorno, proteção veicular, entre outras questões.

Se esse conteúdo é útil pra alguém que você conhece, compartilhe em suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *