“A minha vida é andar por esse país…” É difícil encontrar um caminhoneiro que trabalhe rodando todo o Brasil que não se identifique com os versos cantados nessa música. São muitas viagens e novas experiências na hora de transportar as cargas de um lado a outro do país.

E, juntamente com esse trabalho, vem a dúvida: como fazer o frete ser mais lucrativo?

O que interfere no valor do frete?

A resposta para essa pergunta é variável e deve levar em conta uma série de fatores em comum a todos os caminhoneiros, como o valor dos pedágios, combustível, manutenção periódica e demais custos com o caminhão.

Outro ponto a ser observado é se o caminhão já está comprado e quitado ou se o motorista ainda paga financiamento, caso seja a segunda opção, esse gasto também deve ser incluído na hora de calcular.

Para efetuar o cálculo propriamente dito, é necessário ter em mente o ganho real, isto é, o valor líquido que o caminhoneiro terá após descontar todos os custos da viagem, como, por exemplo, os que foram citados acima.

Um dos pontos importantes para calcular esse ganho é considerar o valor do frete recebido, a distância do transporte até o seu destino final e o tempo que será gasto para chegar ao destino.

Tendo essas três variáveis na ponta do lápis, é hora de precificar, de forma que o frete seja o mais lucrativo possível, sempre colocando uma margem para cobrir também os custos indiretos como desgaste do pneu, desvalorização do veículo pela quilometragem e também os imprevistos.

Qual o frete mais lucrativo?

Mesmo colocando todos os fatores indiretos e diretos de sua viagem na ponta do lápis, existem algumas cargas que podem dar ao caminhoneiro uma oportunidade maior de lucro no frete. São elas:

Cargas frigoríficas

Apesar de representar apenas uma pequena porcentagem do mercado, esse tipo de carga possibilita ao caminhoneiro um ganho de praticamente o dobro a mais do valor do frete de carga seca.

Isso quer dizer que, fazendo o mesmo caminho, com as mesmas despesas e tempo é possível faturar 50% a mais do que transportando demais volumes.

Cargas vivas

Seguindo a mesma linha das cargas frigoríficas, o transporte de animais vivos, seja para consumo ou apresentações em eventos rurais, é um trabalho delicado.

Por exigir muitos cuidados como estabilidade do veículo, espaço e estrutura apropriada para que os animais se alimentem e bebam água, esse tipo de frete tem uma alta rentabilidade que pode ser ainda maior se o caminhoneiro levar em conta o valor que as cargas possuem no mercado.

Cargas de grande porte

Esse tipo de transporte trata de cargas com dimensões e pesos bem diferentes que as convencionais, podendo ser feito apenas por veículos especiais e com maior potência.

Assim como o tamanho do que é transportado, a rentabilidade também é consideravelmente maior e traz um lucro a mais a quem possui as especificações necessárias para se adequar a esse tipo de frete.

Lembre-se:é possível ter uma boa margem de lucro em praticamente todos os tipos de frete, mas, para que isso aconteça, opte por sempre fazer os cálculos levando em conta todos os gastos e despesas.

A calculadora pode ser uma grande aliada nessa jornada, assim como aplicativos que fazem a estimativa da quilometragem e tempo gasto no percurso.

Agora que você já sabe as formas mais eficazes de fazer a avaliação para precificar o frete e também quais são os mais lucrativos, é hora de colocar em prática botando o pé na estrada. Boa viagem!

Você tem alguma técnica específica para aumentar a lucratividade do frete? Que tal compartilhar com os irmãos de estrada nos comentários?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *