Olá!

Vamos começar o nosso post já respondendo à questão posta no título:

A reforma de pneus vale a pena? A resposta é: SIM!

Diferente do que muita gente pensa, os pneus podem ser reformados e ter a sua durabilidade aumentada, evitando a necessidade de serem trocados com tanta frequência, e assim, gerando uma boa economia para os motoristas. Muitas pessoas ainda pensam que vale mais a pena comprar um novo pneu do que reformar, quando uma simples reforma poderia ser feita.

Quando o serviço é bem-feito e realizado dentro das conformidades da lei, o pneu reformado pode ter duração semelhante ou até igual a de um pneu novo. No entanto, é preciso tomar cuidado. Como foi dito, é de grande importância que a reforma seja realizada por um profissional qualificado que respeite as obrigatoriedades da legislaçãoIsso porque reformar pneus sem qualquer regularidade, coloca em risco a sua segurança.

Dessa forma, mais importante do que saber que os seus pneus podem ser reformados, é saber quais são os tipos de reformas mais seguras e regulamentadas no Brasil.

Veja a seguir, os três tipos de reformas de pneus e para que serve cada uma delas:

Recapagem

A recapagem é a reforma que substitui apenas a borracha da banda de rodagem, que pelo seu contato intenso com o solo, acaba ficando desgastada com o passar do tempo.

O processo de recapagem pode ser realizado de duas formas: a quente ou a frio. Na recapagem a frio, costuma-se utilizar uma banda de rodagem já pré-moldada, ou seja, que já está pronta e moldada para ser aplicada junto à carcaça do pneu. Neste caso, a temperatura vai até 115º C. Já na recapagem a quente, utiliza-se o camelback, onde a banda de rodagem passa pelo processo de vulcanização à 150º C, se moldando e se juntando ao pneu.

Esse tipo de reforma é mais comum para pneus de transportes de carga, que costumam ter um uso mais intenso e frequente.

Recauchutagem

Assim como na recapagem, na recauchutagem acontece a substituição da borracha da banda de rodagem e dos ombros da carcaça dos pneus. Neste processo, também se utiliza o camelback, no qual a temperatura chega à 150º C.

Remoldagem

Por fim, o terceiro tipo de reforma de pneu refere-se à substituição dos flancos e de toda a banda de rodagem.

Na remoldagem, toda a parte externa do pneu é revestida com uma nova camada de borracha. Com essa reforma, todas as informações originais do pneu como nome do fabricante, capacidade de carga e data de fabricação são apagadas pela nova borracha.

Esse processo também é realizado a altas temperaturas.

Conhecendo os três tipos de reforma, agora fica mais fácil saber qual delas deve ser realizada de acordo com suas necessidades. Das principais vantagens do processo de reforma de pneu – além da economia, uma vez que reformar é muito mais barato do que comprar um novo pneu –, outra grande vantagem é a contribuição com o meio ambiente, reduzindo o número de pneus descartados na natureza.

A AVEP possui um clube de vantagens e benefícios que lhe ajudarão a ter toda segurança para rodar por esse Brasil afora.

Associe-se agora: http://conteudo.avepbrasil.com.br/simulacao-veiculo-pesado

Fique tranquilo, aqui tem AVEP!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *