“Quem me dera ganhar a vida viajando!”

Esse é um pensamento que muito brasileiros sempre alimentaram, desde a infância. E, além desse sonho, há aquela paixão por veículos. E, não é que muitos encontraram uma forma de conciliar essas duas vontades e paixões?

A profissão de caminhoneiro, por quem está “na beira da estrada” é recheada de glamour, muitos veem apenas a vantagem em estar constantemente em viagem.

A Avep Brasil, parceira dos caminhoneiros, sabe que a vida não se resume a idas e vindas. Há, literalmente, muito chão para trilhar. Então, hoje resolvemos falar um pouco sobre a vida de vocês. E, de antemão, já fazemos o convite para vocês compartilharem as suas histórias.

Como me tornar um caminhoneiro

Para viver essa vida, o primeiro passo não poderia ser outro a não ser: ser habilitado!

E, muita calma nessa hora! Não basta fazer 18 anos e querer tirar a carteira imediatamente. A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) que tiramos de imediato, geralmente, é de categoria A ou B. Isso significa que no primeiro momento, você está apto apenas para conduzir motos e carros. Mas, já é o primeiro passo.

Para ter licença para dirigir os veículos maiores, você precisa mudar de categoria. Sabe como?

  • Categoria C: pode ser tirada um ano após a B, contando o período de permissão. Com a carteira C, você pode dirigir veículos de carga não articulados, isto é, pode dirigir caminhões tocos e trucados. Entretanto, não pode dirigir carretas nem veículos de passageiros.
  • Categoria D: você precisa ter no mínimo 21 anos e ter dois anos de categoria B ou um ano de categoria C. Você poderá guiar o mesmo que a categoria C e também veículos para mais de 8 passageiros e com cargas perigosas.
  • Categoria E: para essa categoria, você precisa ter no mínimo 21 anos e estar habilitado nas categorias C ou D há pelo menos um ano. Com a categoria E, você está apto a conduzir veículos de mais de um módulo, tipo cavalo mecânico + implemento.

A gente sabe muito bem que a experiência e o aperfeiçoamento vem com o tempo de estrada e rodagem. Mas, há algumas maneiras do caminhoneiro preparar-se para os desafios.

Cursos para caminhoneiros

Antes que vocês pensem que estamos falando de cursos obrigatórios para obtenção das licenças e que vocês não passaram por nenhum desses, vamos apenas citar alguns cursos extras que irão fomentar a capacitação de vocês e futuros caminhoneiros:

SEST SENAT

O Sest Senat tem o projeto Escola de Motoristas Profissionais voltado para a capacitação e atualização de condutores habilitados nas categorias D ou E. Os cursos que são ofertados são gratuitos. Interessou? Não deixe de conferir os cursos, clicando aqui!

MOPP

Esse é um curso obrigatório para todos motoristas que irão fazer o transporte de combustíveis, produtos químicos e similares. O curso tem duração de 40 a 60 horas e é ofertada por diversas instituições. Óbvio que o ideal é procurar pelas melhores instituições, com garantia de qualidade de ensino. Uma delas é o Sest Senat. 

Transporte de cargas indivisíveis

Também ofertado em diversas instituições – e também novamente pelo Sest Senat – o curso é exigido para transportadores de cargas especiais, geralmente peças únicas ou com dimensões que ultrapassam as estabelecidas por lei. 

Com a obtenção da licença e aperfeiçoamento com cursos, podemos afirmar que você estará praticamente pronto para ganhar a vida dentro de uma boleia. 

Inclusive, uma das vantagens de ser caminhoneiro é poder optar por se tornar um profissional autônomo. Obviamente, essa escolha depende exclusivamente de suas condições (financeiras inclusive). Se essa for a sua opção, você pode ter um guia inicial neste post: Como me tornar um caminhoneiro autônomo.

Registro Nacional de Transporte Rodoviário de Carga

Toda pessoa ou empresa que trabalhe com a entrega de mercadoria – que não seja própria – precisa fazer registro na Assessoria Nacional ao Transporte Terrestre (ANTT).

Para conseguir o registro é necessário ter um caminhão. Caso você vá comprar o seu a vista, pode primeiramente comprá-lo e depois se dirigir a um dos pontos credenciados para fazer seu Registro Nacional de Transporte Rodoviário de Carga (RNTRC).

O motorista terá que se adequar às novas regras, que incluem estar em dia com a contribuição sindical, fazer a prova de conhecimentos sobre o segmento de transporte de cargas e pagar as taxas da ANTT. Curso e prova podem ser feitos no Sest Senat.

Vantagens em ser um caminhoneiro

Esse é um tópico que poderá render inúmeras postagens e histórias. Apesar dos pesares, da falta de estrutura das estradas e do baixo investimento e reconhecimento por parte dos governantes, quem ganha a vida na boleia sabe separar os prós dos contras e amam essa profissão.

A possibilidade de conhecer lugares novos é um dos fatores motivacionais para esses profissionais. Inclusive, foi determinante para que muitos optassem por dirigir um caminhão. Unir o útil ao agradável, trabalhar e viajar é um privilégio para poucos. Imagine a cada dia estar numa nova cidade, conhecendo novas culturas e experimentando novos pratos, por exemplo!

Conhecer novas pessoas! Se tem alguma coisa em que o caminhoneiro é bom, é contar história. E, ao contrário do que dizem sobre os pescadores, os viajantes dos asfaltos possuem inúmeras histórias verídicas de suas viagens! Nos postos e pontos de parada são onde esses historiadores se encontram. Entre uma narrativa e outra, novas amizades surgem e a motivação para continuar na estrada e fazer novas histórias aumenta!

E vocês? Contem para a gente a história de vocês como caminhoneiros! Deixe um comentário e compartilhe com os amigos que também possam ter boas histórias para contar!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *